Acessibilidade em edificações e vias públicas é tema de treinamento para agentes de fiscalização e profissionais

  A inclusão de deficientes físicos e pessoas com a mobilidade reduzida na sociedade é uma preocupação do Crea-PI, que realizou, na noite da última terça-feira (28), um treinamento de  “Acessibilidade em edificações e vias públicas” para os fiscais deste Conselho e profissionais. O objetivo da capacitação é abordar as necessidades de adequação a contribuir para uma cidade mais democrática que respeita a diversidade humana no seu direito de ir e vir, conforme a LBI (Lei nº 13.146 de 2015) e NBR 9050/2015.

  Além da palestra sobre o tema, os presentes ainda participaram de uma atividade inclusiva, a fim de mostrar a rotina de uma pessoa deficiente e reforçar a importância de estruturas que atendam às necessidades dos deficientes físicos e pessoas com a mobilidade reduzida.

 

     O presidente do CREA-PI, Ulisses Filho, atentou para a importância do tema e afirmou que o objetivo do Conselho é realizar discussões e ações nessa área. “ Iremos definir ações estratégicas do Conselho quanto à acessibilidade, alertando a população e cobrando dos órgãos responsáveis estruturas que facilitem o acesso e deslocamento das pessoas”, explicou.

    O palestrante Eng. Civ. Christian Kanabushi, contribuição do CREA-PR para o evento, ressaltou a importância de se promover treinamentos para orientar os profissionais, a fiscalização e  sociedade para as normas de acessibilidade. “Foi interessante vir ao CREA-PI e expor meus conhecimentos sobre acessibilidade. O meu objetivo é fazer com que os fiscais deste Regional e os profissionais tenham um olhar mais crítico na atuação do exercício profissional ”, complementou.

     A estudante de engenharia civil, Fernanda Ferreira avaliou o treinamento de forma positiva e ressaltou a importância de possuir uma visão mais ampla sobre o assunto. “Irei considerar os ensinamentos, a importância da fiscalização e o  uso do código de ética do profissional por toda minha carreira. Sempre seguir as normas para ter construções acessíveis às pessoas com deficiência ou mobilidade reduzida”, declarou.

   De acordo com o Manual de Acessibilidade do Conselho Federal de Engenharia e Agronomia (Confea), é imprescindível que todos os projetos relativos à Acessibilidade, conforme § 1º do Art. 56 da Lei Federal 13.146/15, sejam elaborados e executados exclusivamente por profissionais legalmente habilitados com a referida Anotação de Responsabilidade Técnica – ART.

 

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.