CNP debate as 45 Propostas Nacionais Sistematizadas

Com número variável de integrantes e diferenciados por cor, os oito grupos de trabalho analisam até amanhã, sábado, último dia do 10º CNP, todas as 45 Propostas Nacionais Sistematizadas, em torno dos eixos temáticos: atuação profissional, atuação das empresas, infraestrutura, inovações tecnológicas e recursos naturais. Na tarde deste sábado (21), seguem para a plenária final somente as propostas rejeitadas em seis ou mais grupos. As demais estarão automaticamente aprovadas.

Confira:

Para o coordenador Clóvis Sávio Simões, debates foram muito válidos para o grupo Amarelo

 

GT Amarelo

As discussões das propostas analisadas pelo Grupo Amarelo foram marcadas, no princípio dos debates, por divergências entre a coordenação do grupo e o público, formado por convidados e os 64 delegados eleitos durante os Congressos Estaduais de Profissionais (CEP). Alguns delegados quiseram incluir emendas às propostas já sistematizadas, no mês de agosto. Após os esclarecimentos do procurador jurídico do Confea, Igor Garcia, o grupo discutiu 31 propostas, das quais apenas 5 foram reprovadas. O coordenador do Grupo 1, Clóvis Sávio Simões, considerou positivos os embates deste primeiro dia. “Ouvimos as críticas e voltamos ao trabalho. Em um certo momento, precisamos da intervenção do procurador do Confea. Após isso, o trabalho fluiu naturalmente”, comentou.

Com um clima bem mais tranquilo, o Grupo Amarelo deu prosseguimento às discussões das propostas neste sábado (21), no Centro de Convenções Arnaud Rodrigues. Das 14 propostas que ficaram para ser analisadas hoje quatro foram rejeitadas. O coordenador Clóvis Sávio Simões considerou tranquila a conclusão do trabalho. “Tivemos algumas divergências ontem, mas depois tudo fluiu e conseguimos dar prosseguimento. E hoje em menos de uma hora concluímos e todos saíram satisfeitos”, destacou.

A partir das 14h os representantes dos grupos se reúnem no Auditório Araguaia para a Plenária, órgão máximo e soberano do CNP, para apreciar os destaques realizados nos grupos de trabalho indicando aprovação ou reprovação das propostas. Das 45 propostas analisadas no Grupo Amarelo, apenas oito foram recusadas. “Tenho o conhecimento que esse número baixo de propostas recusadas ocorreu também em outros grupos o que demonstra que teremos, aparentemente, um trabalho tranquilo na Plenária”, acredita.

Grupo Azul: 38 propostas já aprovadas para representar o Sistema

 

GT Azul

Na sala dois do 10º CNP, classificada como grupo azul, o coordenador, eng. civil Ubiratan Oro, do Crea-RS, falou sobre a expectativa do grupo de trabalho. “Esperamos aprovar propostas que sejam densas o suficiente e viáveis para serem implementadas, sendo essa a oitiva profissional mais democrática. Todos os cinco eixos são importantes, mas a modalidade civil ficou com o maior número de propostas”, comentou.

Ao todo, foram aprovadas pelos 67 delegados 38 propostas e rejeitadas sete. “A implantação destas propostas vem no sentido de valorizar o próprio Sistema, que, após sua aprovação no CNP, serão levadas ao Plenário do Confea. Os grupos de trabalho têm como foco representar todos os profissionais do Sistema”, acrescenta Ubiratan. Já o coordenador adjunto eng. quim. e seg. trab. Lincoln Eduardo Almeida Silva, do Crea-PE, espera que “as propostas sejam realmente colocadas em prática para que o Sistema cresça e se fortaleça”.

Com 12 propostas rejeitadas, grupo Laranja discute caminhos fundamentais para o Sistema

GT Laranja

Com a participação de cerca de 60 delegados, com direito a voz e voto, o Grupo de Trabalho 3 (Laranja) apreciou e votou nesta sexta-feira (20) todas as 45 Propostas Nacionais Sistematizadas e encaminhadas para o 10º Congresso Nacional de Profissionais (CNP) que acontece em Palmas (TO).  Das proposituras apreciadas no primeiro dia de atividades, 33 foram aprovadas e 12 reprovadas.

A coordenadora do GT-3, a engenheira ambiental do Crea-PA Paula Fernanda Ribeiro Paiva, destacou que as propostas são uma síntese das demandas e anseios dos profissionais da Engenharia, da Agronomia e das Geociências. “ Estamos aqui discutindo e votando questões fundamentais para o bom andamento do nosso Sistema”, afirma a coordenadora, que avaliou como positivo o primeiro dia de trabalho.

Os delegados do grupo 4 debateram todas as propostas sistematizadas para o 10º CNP

GT Cinza

Coordenado pelo eng. civil Carlos Koyti Nakazima, o grupo 4 (Cinza) discutiu, nesta sexta-feira (20), todas as 45 propostas nacionais sistematizadas para o 10° Congresso Nacional. Destas, 36 foram aprovadas, muitas, por ampla maioria. As proposições do eixo Atuação Profissional foram as que geraram os debates mais acalorados.

Para o coordenador do grupo, o 10º CNP se aproxima da perfeição. “Já estamos no 10º CNP e a cada experiência melhoramos o processo e chegamos mais perto da perfeição, dentro da realidade”, afirmou. Ainda segundo Nakazima, o trabalho do grupo 4 foi excelente. “Conseguimos trabalhar bem, com vários debates e opiniões importantes de lideranças profissionais”, comemorou.

Grupo Rosa considera os temas de grande valia para o Sistema

 

GT Rosa

Com  48 delegados com e sem mandato presentes, o grupo Rosa promoveu as discussões das 45 Propostas Nacionais Sistematizadas (PNS), ao longo de toda a tarde desta sexta (20). O conselheiro do Crea-RO eng. agr. Felipe Monclair e a coordenadora adjunta, conselheira do Crea-BA eng. ftal Daiane Sampaio Almeida, saudaram a importância dos diálogos.

Felipe destacou a importância dos eixos temáticos propostos pelo Confea. “Na minha opinião, a escolha dos temas foi de grande valia devido às discussões no que se refere a educação e às políticas de governança, a forma de nos relacionarmos com o governo”, argumentou. “Acredito que esse seja o momento para que pessoas como eu, do interior do país, possam ser ouvidas e que nossas reivindicações e sugestões venham a ser colocadas em prática ao longo desses três anos, para o real desenvolvimento do país”, complementou  Daiane.

Coordenador Ricardo Veiga, do grupo Verde, defende a maior atuação externa do Sistema

 

GT Verde

No primeiro dia de trabalhos do grupo 6 (Verde) do 10° Congresso Nacional dos Profissionais (10° CNP), os 55 delegados presentes no evento votaram em 33 das 45 propostas apresentadas na tarde desta sexta-feira, 20 de setembro. Destas 33 propostas, 23 foram aprovadas e 10 foram rejeitadas pelo quórum. As outras 12 propostas foram analisadas no sábado, quando o saldo geral foi fechado em 35 aprovadas e 10 recusadas.

O coordenador do grupo 6, engenheiro civil, representante do Crea Goiás, Ricardo Veiga, qualifica o primeiro dia de trabalhos como “bem satisfatório” e parabeniza todos os participantes no evento. “Considero ótimo o desenvolvimento dos trabalhos nesse primeiro instante. A nossa discussão nesse CNP avançou muito na questão de estarmos trabalhando para a ação externa do Sistema, não só internamente, considerando que somos um grande indutor do desenvolvimento nacional porque temos capacidade técnica. Nós como um grupo pensante da infraestrutura brasileira precisamos sim atuar de forma externa para que assim tenhamos um Sistema eficiente e uma qualificação do trabalho profissional em todo o Brasil”, destaca o coordenador que acredita que a sessão plenária de encerramento seja efetiva. “Percebo que houve um entendimento amplo e uma convergência das propostas aprovadas”, avalia Veiga.

Delegados eleitos representaram bem os profissionais, segundo o coordenador Márcio Sá

GT Vermelho

No Grupo 7 (vermelho), o coordenador foi o eng. prod. Márcio Sá, do Rio Grande do Norte. Das 45 propostas discutidas na tarde deste sábado (20), apenas nove foram rejeitadas pela maioria dos delegados do grupo. “Foi uma reunião bastante produtiva. As propostas foram debatidas em alto nível. Como previsto, algumas mais polêmicas tiveram uma discussão mais acalorada. No final, o saldo foi positivo. Aprovamos a grande maioria das propostas. Isso faz com que o trabalho realizado nos regionais tenha sido representado aqui. Ou seja, os delegados eleitos no regional representaram bem os profissionais locais”, avaliou Márcio Sá.

“A questão do Ensino à Distância (EAD) foi o motivo da discussão mais acalorada, mas prevaleceu o bom senso e o respeito aos profissionais”, completou o coordenador.

Olhar a realidade do país é uma das formas de atuação do CNP, para a coordenadora adjunta do grupo Preto, Flávia Roxim

GT Preto

No grupo oito do 10° CNP (Preto), 58 delegados de diferentes estados do país apreciaram e votaram as 45 propostas. Ao todo, foram aprovadas 38 propostas e sete rejeitadas. O coordenador do grupo, eng. civ. Samir Jorge do Crea-PR, espera que as melhores propostas sejam colocadas em prática pelo Confea. “O Sistema Confea/Crea entendeu que deveríamos olhar para fora, porém, a maioria das propostas aprovadas foi pensada para dentro. A votação foi rápida, e os delegados votaram bem. Destaco a proposta do EAD que poderia ter sido rejeitada, mas acabou sendo aprovada”, destacou.

De acordo com a coordenadora-adjunta, eng. civ. Flávia Roxin Bretas, do Crea-MG, todos os eixos temáticos abordados são importantes, mas ela destacou a atuação profissional como a mais prioritária. “Precisamos olhar com mais atenção para o que está ocorrendo no nosso país com a falta de serviços de engenharia e buscarmos fortalecer mais as nossas profissões. O CNP foi muito produtivo e certamente nos ajudará na valorização profissional”, ressaltou.

Equipe de Comunicação do 10º CNP

Fotos: Damasceno Fotografia/Confea

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Page Reader Press Enter to Read Page Content Out Loud Press Enter to Pause or Restart Reading Page Content Out Loud Press Enter to Stop Reading Page Content Out Loud Screen Reader Support